Um grupo difícil, mas bem ao nível das águias

Três equipas equilibradas e um perigoso outsider

O grupo B da Liga dos Campeões é constituído por Lyon, Benfica, Schalke 04 e Hapoel Telavive. Parece ser um grupo acessível para os encarnados, mas na verdade não o é. Algo importante num sorteio para uma equipa que está colocada no pote 2 é sempre esperar que a qualidade da equipa do terceiro pote não seja semelhante ou superior à sua e, analisando friamente, do pote 3 só Ajax, Tottenham e Schalke estão num patamar igual ou superior ao do Sport Lisboa e Benfica! Vendo por este prisma, posso afirmar que a equipa de Jesus teve muito azar nesse adversário, dado que, para além da grande qualidade do plantel e do gigantíssimo orçamento da equipa germânica, no banco de suplentes está um homem chamado Felix Magath, um treinador excelente, muito experiente e que, entre outros títulos importantes, levou o Wolfsburgo à conquista da Bundesliga em 2008/2009!

Esta equipa alemã, no sector mais recuado, possui um guarda-redes muito seguro que inspira confiança, Manuel Neuer, e um central com a categoria de Metzelder, muito determinado e forte fisicamente. Mais à frente no terreno há Rakitic, este croata habilidoso é o que mais desequilibra individualmente nesta equipa de Magath e é ele o especialista nas bolas paradas. No ataque, existem nomes como Farfán, Edu e Raúl González, um tridente ofensivo carregado de magia e eficácia, duas coisas fundamentais quando o que se pretende são golos! Passando agora ao cabeça-de-série deste grupo, o Lyon. Esta equipa orientada por Claude Puel fez uma excelente Liga dos Campeões no ano passado, chegando às meias-finais da mesma, deixando pelo caminho Real Madrid e Bordéus. Hugo Lloris, Reveillere, Toulalan, Pjanic, Michel Bastos, Yoann Gourcuff, contratado há uns dias ao Bordéus, Jimmy Briand, Gomis e Lisandro López são os nomes mais sonantes duma equipa que se destaca pelo seu grande colectivo e por toda a garra que demonstra durante todos os 90 minutos.

Deixo só um especial destaque a Toulalan, um médio-defensivo capaz de jogar em várias posições e que denota um talento especial para ocupar racionalmente os espaços, e a Lisandro López, um avançado guerreiro que encanta qualquer massa associativa com a sua intensa e bela forma de jogar! Em relação ao adversário, teoricamente, mais fraco do grupo, posso dizer que será complicado vencê-los em casa. Telavive tem um ambiente complicadíssimo e o 12º jogador lá poderá fazer toda a diferença, mesmo tendo em conta que será a primeira vez que esta equipa disputa uma fase de grupos da Liga dos Campeões. As duas grandes estrelas dos israelitas são o guarda-redes internacional nigeriano Vincent Enyeama e o avançado Ben Sahar, que esteve com José Mourinho no Chelsea, ele é uma promessa do futebol do seu país e é a grande referência desta equipa no ataque! Eli Guttmann de 52 anos é o treinador e seria fantástico se ele conseguisse o 3º lugar no grupo e o respectivo apuramento para a Liga Europa, algo que eu considero, no mínimo, bastante difícil!

(A teia de Magath)

2 comentários:

Paula disse...

Obrigada por teres partilhado o blog. Vou começar a visitar mais vezes :)

Delantero disse...

Benfica,Lyon,Schalke estão todos ao mesmo nivel na minha opinião,por isso é de esperar jogos muito equilibrados. Em Israel também será muito complicada a tarefa encarnada,boa leitura nogueira.

abraço